Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Heaventus Doces

Depois dos 40, a Mulher, Mãe, Profissional rende-se à paixão pela arte da culinária,… Partilho o resultado de momentos felizes passados na cozinha (doces e Salgados) com receitas de deliciosos pratos!...

Heaventus Doces

30
Jan20

Vamos pensar no Futuro... Já?

82053441_827804047738318_4376948506464616448_n (1).jpgHoje o texto de introdução para mais uma receita gulosa, não é meu.

Mas trata-se de um assunto que levo muito a sério e que me desperta especial atenção sempre que é abordado por comentadores e jornalistas, pelo que resolvi transcrever parte de dois artigos que li recententemente e nos quais, acredito, está o resumo claro de algo a que não devemos ficar indiferentes...

Quem está hoje a participar de forma ativa na economia, deve estar atento à revolução que se vive no mercado de trabalho e às novas exigências, afinal de contas, cerca de 40 anos de trabalho numa sociedade em constante e rápida mudança exige mais de nós do que pensamos!

Hoje as mudanças não surgem apenas com as Gerações, ...a tecnologia e a era digital obrigam-nos a mudanças e atualizações constantes...

 

"A gestão de pessoas e a economia 4.0

 

É Necessário preparar as pessoas para empregos de futuro, qualificando, atualizando e requalificando.

O relatório “The future of jobs” de 2016, do World Economic Forum, aponta para a erradicação de cinco milhões de empregos até 2020 só na Europa. Até 2025 estima-se que sete milhões de pessoas na Europa vão perder o emprego devido à Revolução 4.0.

Os números não deixam margem para dúvidas: até 2020, 54% dos empregos estão altamente vulneráveis. A revolução terá impacto em todos os postos de trabalho sejam eles qualificados ou não qualificados. Terá impacto nos trabalhadores de todas as idades.

Os gestores de pessoas estão a ser desafiados para criar ambientes de trabalho digitais e apoiarem a preparação dos contextos de trabalho do futuro pois esta revolução caracteriza-se pelo uso generalizado de tecnologias.

Estas tecnologias têm provocado grandes transformações nos modelos de negócio das organizações dos mais diversos segmentos de mercado, mas também fazem parte do quotidiano das pessoas: smartphones, internet móvel, impressoras 3D, sensores inteligentes ou cloud computing já são imprescindíveis.

É necessário preparar as pessoas para empregos de futuro, qualificando, atualizando e requalificando. Na economia 4.0 temos de ter pessoas com competências 4.0.

O mercado de trabalho como o conhecemos hoje não vai existir mais, uma vez que esta revolução exige novas competências e uma aprendizagem contínua ao longo da vida, fazendo com que todos tenham de aprender a aprender.

A grande alteração tem a ver com a mudança de mindset: as pessoas vão ter mais tempo para as suas questões pessoais, hóbis e realização profissional unicamente porque as novas tecnologias permitirão que cada um tenha acesso a novos recursos. E assim caminhamos para a sociedade 5.0.. E o que fazer em termos de Gestão das Pessoas na economia 4.0?

Hoje, a questão que se coloca não é quando acontecerá a 4.ª Revolução Industrial porque a revolução já começou. A questão que se coloca é como estamos a preparar-nos e a desenvolver estratégias de adaptação para nos mantermos no mercado de trabalho e mantermos vivas as nossas empresas."

E isto leva-nos logo para um segundo artigo que não resisto em partilhar :

 

"Sete tendências no futuro do recrutamento

Atrair, selecionar e recrutar para, a seguir, reter. No mundo dos recursos humanos, as regras estão a mudar. São os candidatos a impor exigências e as empresas têm de ir atrás.

Um dos desafios com que os recursos humanos se debatem atualmente prende-se com processos de recrutamento e taxa de retenção subsequente. Em cada 100 contratações, 13 falham ou as pessoas abandonam a organização durante o período de experiência. Além disso, uma em cada três pessoas deixa a empresa no primeiro ano, o que, de acordo com a Michael Page, é algo que tem de ser contrariado. Mas como?

“Atrair o talento do futuro”, o estudo que a consultora desenvolveu em alguns países europeus (Portugal incluído), analisa a relação das pessoas com o trabalho nas empresas, uma forma de perceber o que procuram para depois ajustar a oferta.

Mas então o que deverá ter sido em conta na hora de recrutar?

Salário não é tudo

O pacote salarial é importante, a reputação da empresa também atrai talento mas, no panorama atual, os candidatos interessam-se pelos compromissos sociais das organizações e pelas causas e temas que estas apoiam, como fatores de diferenciação dos seus concorrentes.

A valorização da formação, das avaliações, da comunicação genuína e a informação transparente sobre a empresa, são critérios destacados nos processos de recrutamento. E é isto que as empresas também devem ter para oferecer.

A evolução da função e da própria empresa são relevantes para a atração de talento. Daí ser tão importante o envolvimento dos colaboradores enquanto embaixadores da marca, um método utilizado por 36% das empresas para atrair gestores e encontrar os melhores perfis de forma mais rápida.

Relações com significado

Os profissionais de recursos humanos devem ter consciência que os colaboradores querem compreender o propósito que está subjacente às suas funções e sentirem-se realizados nas tarefas que desempenham. Uma mudança associada à geração millennial, que dá prioridade a um trabalho com significado.

“Para a vida toda” é coisa do passado

Empregadores e colaboradores já aceitaram a ideia de que já não há empregos para a vida toda. Esta é outra das conclusões do estudo que refere a importância dos contratos a prazo e de trabalho temporário, assim como de outras formas de flexibilidade laboral.

Analisar as soft-skills

No recrutamento do futuro, a compreensão das competências sociais e comportamentais (soft skills), da motivação e da personalidade dos potenciais candidatos são aspetos importantes, devendo considerar-se ainda o respeito pela individualidade. Trata-se de encontrar as personalidades certas para a função, com uma conjugação de inteligência emocional e competências cognitivas, e mudar mentalidades no que se refere ao perfil do melhor candidato.

Melhorar os anúncios de emprego

Neste contexto, o recrutamento dos melhores talentos é cada vez mais difícil, de acordo com a análise da Michael Page, e as ferramentas tradicionais têm de se ser otimizadas para se adaptarem a um mundo que exige mais transparência. Entre outras estratégias, os empregadores têm de melhorar os anúncios de emprego, de forma a que estes reflitam a transparência das ofertas e motivem os potenciais candidatos.

O futuro é tech

O futuro do recrutamento passa sobretudo pela tecnologia. “No futuro, o mercado de trabalho terá mais automatização em todos os processos. No entanto, o objetivo não é substituir o humano na cadeia de valor, é dar-lhe apoio e expandir as suas capacidades. A tecnologia ajudará a aumentar as competências das pessoas ao acelerar os processos de seleção ou ao contribuir para a eliminação de enviesamentos nos anúncios de empregos”, refere Álvaro Fernández, diretor geral da Michael Page."

https://eco.sapo.pt/opiniao/a-gestao-de-pessoas-e-a-economia-4-0/

https://eco.sapo.pt/2019/05/30/sete-tendencias-no-futuro-do-recrutamento/

O melhor mesmo é estar atentos e acompanhar este tema e a sua evolução,... mas com uma fatia de bolo na mão, de preferência em fim do dia, à lareira e com um bom chá! 

O bolo pode ser de laranja e cenoura, que é rápido e sai sempre bem. 

  • Bolo de Laranja e Cenoura

 

Ingredientes para o Bolo:

  • 2 cenouras raladas
  • 2 laranjas (raspa e laranja inteira sem casca)
  • 4 ovos L à temperatura ambiente
  • 250g de açúcar
  • 250g de farinha com fermento
  • 1 c. de chá de fermento
  • 200g de manteiga amolecida

 

Preparação do Bolo:

1. Ligue o forno nos 180ºC. Unte a forma com margarina e polvilhe com pão ralado.

2. corte as cenouras e as laranjas, junte com o açucar e as gemas no liquidificador e triture bem.

3. Depois junte a manteiga amolecida e volte a triturar, juntando por fim a farinha e o fermento ao preparado e volte a mexer bem para incorporar .

4. Entretando, bata as claras em castelo na batedeira e incorpore a massa envolvendo com cuidado.  

5. Por fim leve ao forno por aprox. 40 minutos (depende do forno).

83316145_192418431956549_7333338018591277056_n.jpg84063943_2481273365474462_227332013386891264_n.jpg

Bom Apetite!....Doces Heaventus!...

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.